quinta-feira, 15 de abril de 2010

Linha torta com alguns nós

Oi, tudo bem? Eu vou bem.

A Mili está com a semana muito corrida, portanto não teve disponibilidade para escrever essa semana, pois está iniciando outros projetos. Eu tenho domínio sobre o que lerã
o a seguir.

Não é engraçado? Uma pessoa desconhecida definindo o que vamos ler? Quando temos uma conversa, normalmente sabemos a respeito do outro, além de poder interromper, frisar nossas concordâncias e discordâncias, mudar de assunto, mas no caso de um texto, não temos tais privilégios, apenas questões interpessoais, de modo que a única linha de raciocínio a ser seguida é a minha e, cá entre nós, não é uma linha reta, tampouco confiável.

Frequentemente coloco-me a pensar sobre assuntos que iniciam uma pesquisa mais a fundo. Atualmente tenho priorizado pensamentos a respeito de relacionamentos e amizades na pós-modernidade. Não tenho base filosófica ou sociológica para discutir a respe
ito desses assuntos, mas não necessito deles para discorrer a respeito das minhas observações.
Não são poucas as pessoas que partilham dos seguintes sintomas: inversão do ciclo de sono, isolamento, perda de interesse por atividades anteriormente agradáveis, apatia, descuido com a higiene pessoal, ideias bizarras, comportamentos poucos habituais, dificuldades escolares e profissionais, entre outras, assim não me causa estranheza pensar numa geração esquizofrênica. Temos dificuldade na separação do real e do virtual. Afogamos nossa solidão nos aparelhos de mp3 e no nosso consumismo, pra que tudo isso?

Certa vez ouvi a seguinte frase “se nós tivéssemos amizades profundas, verdadeiras, muitos psicólogos e psiquiatras estariam desempregados”. Concordo em parte. Os relacionamentos nascem desgastados, superficiais e não nos faltam ferramentas para que façamos sua manutenção. Não há um ombro amigo num MSN, nem uma twitada relativa a um abraço apertado. Nossa carência tem gerado outras, num ciclo lancinante, nos tornamos seres egoístas, não mais nos doamos em favor de ninguém. Existe muita coisa a se fazer, maneiras simples de proceder, e não estou falando de ceder o lugar para alguém sentar no metrô, ou inundar seu redor com cumprimentos, “bom dia”.

Existe muito, além do nosso umbigo, mas, motivados pelo medo e pelo espanto da nossa imagem/realidade/reflexo, fazemos jus a letra de Cazuza: “eu vou pagar a conta do analista pra nunca mais ter que saber quem eu sou”, tomamos medidas de modo que “a gente repete que quer, mas não busca e de modo abstrato se ilude que fez”, não agindo, nos conformando.

Meu objetivo é influenciar sua reflexão a respeito do assunto. Sejamos honestos conosco, lutemos, façamos algo real. O tempo não para, mas nós estamos estagnados, perdendo oportunidades que não se repetem. Muito mais poderia ser dito, mas prefiro parar agora. Podemos mudar o mundo, se não o mundo todo, o NOSSO MUNDO.

Amo vocês.


Piva

9 comentários:

Mili disse...

Às vezes acho que sofro desse mal, exceto pela higiene pessoal, rs, mas constantemente me policio para não me alienar no meu mundo e esquecer do que está ao meu redor. Com certeza isso influencia muito nos relacionamentos... Por isso hoje precisamos nos esforçar muito mais para manter uma amizade profunda, do que antigamente...
Gostei do ponto de vista, Piva, até que tu se vira bem sem mim, aheuaheuhaue, brincadeira.

Beijoca

Rachel disse...

É, eu acho que essa era de hoje, onde o contato pessoal é pouco, nos leva a um certo isolamento, consequentemente a um desânimo e assim a estagnação.
Ou nos relacionamos de verdade, ou não evoluiremos.
Muito bom seu texto. PARABÉNS!

Beijinhos

EriKa Linares disse...

Eu sou a pessoa mais sem relacionamento q existe!rs...De um certo ponto de vista.
Amigos maravilhos tenho,mas e tempo?
O q me resta é um relacionamento sem contato pessoal com a maioria....e realmente profundidade num relacionamento assim é díficil.
Preciso evoluir eu sei...e já ando pensando nisso faz um tempo. Esse seu texto veio bem a calhar!
Mto legal!show.
obs.: ainda ñ cheguei na apatia e na falta de higiêne pessoal! Mas idéias bizarra...hummm

EriKa Linares disse...

Eu sou a pessoa mais sem relacionamento q existe!rs...De um certo ponto de vista.
Amigos maravilhos tenho,mas e tempo?
O q me resta é um relacionamento sem contato pessoal com a maioria....e realmente profundidade num relacionamento assim é díficil.
Preciso evoluir eu sei...e já ando pensando nisso faz um tempo. Esse seu texto veio bem a calhar!
Mto legal!show.
obs.: ainda ñ cheguei na apatia e na falta de higiêne pessoal! Mas idéias bizarra...hummm

Mili e Piva disse...

Não sei se ficou claro, mas os sintomas descritos fazem referência aos sintomas da esquizofrenia. Não foram observações feitas a partir dos que me rodeiam, mas simplismente retiradas de textos sobre esquizofrenia.

Atenciosamente.

Piva

Pacitti disse...

"Cara.. que barra descobri q meu melhor amigo era um fake" uahuahuah... nooot

Maaanoo.. mirabológico véi.. acho que a Érika disse uma coisa importante.. "Amigos maravilhos tenho,mas e tempo?"
Nos não temos tempo pra cultivar as amizades.. mas temos tempo pra assistir milhares de series, twittar q nem um louco o dia todo, olhar todas as fotos de todas as gatchenhas no orkut, e ver videozinhos do gato ninja no youtube.. E tudo alem da faculdade, trabalho, etc..

abrass mano.. saudad

Nathália disse...

Nossa uma reflexão bem interessante, eu estudo a Psicologia e galera esse assunto é muito sério e os consultórios estão ficando cada vez mais abarrotados de sintomas assim, inclusive solidão, depressão, "esquizofrenias". Galera, isso está ficando o caos da sociedade moderna. Ok! posso estar exagerando, mas vamos ai pessoal, não deixem que as pessoas ao seu alcance cheguem a este ponto tão pouco vocês mesmos.... Bjins

Sabrina disse...

Piva, belo texto! Como aprendizado fiquei com isso: continue cultivando DE PERTO as amizades! Tecnologia ajuda a manter contato, mas não substitui o amor que une os amigos! Um tweet ou scrap não podem substituir um abraço aconchegante ou um olhar no silêncio, aquele que fala tudo!

Deus te abençoe sempre!

Jacky Bia disse...

Olá PIva...eu concordo com seu texto aqui (mesmo sabendo q tu n te importa com isso neh? hehe). Mas é isso aí...as amizades no mundo de hj estão cada vez mais superficiais e mts nem tem se dado conta disso! Eu tenho milhares de amigos...mas aqueles q eu sei q me conhecem realmente e q sempre posso contar? Poucos...a MILI inclusive eh uma das q eu sei q posso contar, minha amigona mesmo! E ri mt com a perte q ela citou ai acima sobre n abrir mao da higiene pessoal dela...eu acredito fielmente nisso! hahaha...mas voltando ao pensamento...eh mesmo verdade. E n soh a esquisofrenia..mas mts outras doenças q as pessoas correm p consultórios medicos e ateh hospitais em busca de ajuda, mas n percebem q o perigo vai estar com elas onde forem, pois quem as está prejudicando são elas mesmas. E se cada pessoa q ler isso aqui se concientizar disso, teremos muito mais do q meras doenças resolvida no mundo. Teremos um mundo bem melhor! Não deixando de citar é claro que para esse mundo ser melhor as pessoas precisam de Jesus! Lindo texto e linda opinião a sua. A MIli realmente n faz falta aqui! auhsuahsuah...brincadeira amiga..tu sabe q te amo neh? Abraço Piva!